♥ CITAÇÕES DO DIA ♥

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

≈☆≈BOPE / O FILME!!!≈☆≈

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) é uma tropa de elite da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Fundado na década de 1970 com o nome de Companhia de Operações Especiais (COE), muda pouco depois de denominação, após ganhar autonomia administrativa, para Companhia Independente de Operações Especiais (CIOE).


Em 1991 é finalmente transformado em Batalhão, mantendo-se ainda no Regimento Marechal Caetano de Farias, aquartelamento do Batalhão de Polícia de Choque entre outras unidades policiais.


No ano de 2000 ganha instalações próprias, localizadas na comunidade Tavares Bastos, no bairro de Laranjeiras, na Zona Sul da capital fluminense.Sua tropa possui alto nível de excelência, empregando recursos táticos inteligentes, trabalhando quietamente para não levantar alertas, sendo empregadada em operações de alto risco em que a força da Polícia Militar regular não seria de efeito.


Que o filme Tropa de Elite vazou para internet mais de dois meses antes de sua estréia, todo mundo já sabe. Que teve seu lançamento adiantado também.

Está no cinema perto de sua casa! Rssss
Mas chega de enrolação. O filme é bom? Não.

O filme é excelente!
Um dos melhores filmes nacionais recentes.





Mas não é um filme de ação na sua essência. Tem cenas de ação sim, uns tiroteios legais, com umas mentiras hollywoodianas e tal, mas no geral o filme é bem realista.

Aliás, oresponsável pelos efeitos especiais é o mesmo do Falcão Negro em Perigo: Phil Nelson. Tropa de Elite é muito mais um filme de emoção que de ação.

Enfatiza muito mais os aspectos psicológicos, as personalidades e conflitos internos das personagens que as cenas épicas.

A corrupção na PMERJ é escancarada no filme, que mostra bem como o “sistema vive para alimentar o sistema”.

O filme é narrado em primeira pessoa, pela principal personagem, um capitão do BOPE que quer sair da Unidade porque está endoidando e porque nasce seu filho.

Como na realidade de milhares de PMS, o casamento do capitão acaba por causa do estresse do trabalho.

Numa ocorrência, o capitão encontra dois aspirantes que vislumbra como candidatos para substituí-lo no BOPE.

São dois caras honestos e vibradores, amigos de infância, que acabam se matriculando no Curso de Operações Especiais, cuja rotina traz boas cenas e mostra um pouquinho da ralação a que se submetem os candidatos a caveiras, como são chamados os cursados do BOPE.



Falando em lado bom, a parte militar e policial do filme ficou muito bem feita.

As gírias típicas da caserna e até a voz de comando são bem empregadas, coisa rara em produções brasileiras.
O deslocamento tático também ficou bom.
O elenco deve ter treinado bastante o tactical walk.


Uma das cenas mais marcantes de Tropa de Elite é a da morte e sepultamento de um dos aspiras candidatos a substitutos do capitão Nascimento, representado pelo Wagner Moura.



Ele ia ao morro levar um par de óculos que o outro aspira havia mandado fazer para um garoto míope da favela (o lado humano do PM também é bem retratado)

Você está achando que eu vou contar o filme todo?
Enganou-se.
Vou parar por aqui.
Em resumo: o filme é excelente.


Obrigatório assistir para quem é policial e para quem quer entender um pouco mais como funciona a polícia do Rio de Janeiro.

Quem quer somente diversão, vai se surpreender e vai sair achando que valeu muito a pena ter ido ao cinema. Certamente não será dinheiro jogado fora.

OS HOMENS DE PRETO
Ricardo Fasanello/Strana


Para ingressar: é preciso ser policial militar há pelo menos dois anos.

Antes de ser admitido no curso de treinamento, o candidato passa por teste de condicionamento físico – que precisa ser excelente para a aprovação –, avaliação médica e psicológica.


O treinamento: há dois tipos de curso, voltados para cada uma das divisões do batalhão.
Curso de ações táticas: dura dois meses e é direcionado ao resgate de reféns.


Os policiais dessa divisão estão escalados para a unidade contra terrorismo nos Jogos Pan-Americanos.


Curso de operações especiais: de três a cinco meses, prepara o policial para intervenções em áreas de conflito, como situações críticas semelhantes às enfrentadas nas favelas do Complexo do Alemão.


Horário de serviço: turno de 24 horas seguido por 72 horas de folga.
Salário: os soldados ganham 1 200 reais e os tenentes, 2 500 reais (valores líquidos).
O trabalho: há, no mínimo, uma operação por dia em alguma favela da cidade.


Equipamentos: nas operações em favelas, cada policial usa colete à prova de balas, fuzil Fal com oito carregadores de trinta cartuchos, uma pistola .40 e uma faca.

Neste mês, o batalhão deve receber seis modelos do fuzil-metralhadora belga FN Minimi, que tem capacidade para dar até 1 000 tiros por minuto. As armas ficarão com a unidade contra o terrorismo durante o Pan e depois serão utilizadas nas operações em favelas.

A música: os versos cantados pelos policiais do Bope durante os exercícios físicos estão em várias versões na internet, em sites como o YouTube.

Um dos trechos da letra

Cachorro latindo
Criança chorando
Vagabundo vazando

É o Bope chegando
Tropa de elite, osso duro de roer
Pega um, pega geral, também vai pegar você.

2 comentários:

Anônimo disse...

Adorei o filme.
Bjs

RONALDO disse...

Quero ser do BOPE RSRSRSRS

Olha a Hora!!!

relojes web gratis