♥ CITAÇÕES DO DIA ♥

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

♡♡ Pensandoooo ♡♡

ჱܓჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ

♡♡“Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um não. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo
…"♡♡
(Fernando Pessoa)

ჱܓჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ ჱܓ

...**Carnaval ** Chegando**...

É hora de se preparar para o Carnaval, espetáculo popular que contagia todo o país.
É nessa festa que brasileiros e turistas de todo o Mundo tem a oportunidade de revelar, sob máscaras e fantasias, a sua verdadeira essência.
Em qualquer Estado, Cidade ou cantinho do Brasil, as comemorações são feitas à base de muita música, dança, cerveja e principalmente, muita irreverência.
A data da festa não é fixa, variando de acordo com o calendário católico-apostólico-romano, já que a comemoração acontece 40 dias antes da Páscoa.
Mas isso não quer dizer que durante todo o verão as cidades não param para as chamadas “prévias carnavalescas”. No sudeste, os ensaios de blocos e das escolas de samba dominam a cena, já as cidades litorâneas do nordeste preferem fazer a festa ao som da música baiana e do axé-music, mas todas elas têm o mesmo pano de fundo: a preparação para o Carnaval.
Apesar de parecer ser um fenômeno tipicamente brasileiro, o Carnaval é celebrado em todos os países do Ocidente.


A maioria deles ainda relaciona a festa a rituais bem antigos, por isso, cada país organiza suas comemorações de maneira diferente, porém todos com muita música e alegria.
No entanto, uma coisa é certa: o Brasil possui o Carnaval mais formidável do Mundo.
Não é por acaso que dizem que brasileiro já nasce com sorriso no rosto e samba no pé.
O Carnaval daqui não foi inventado, nasceu da mistura de várias culturas e tradições européias, adaptadas para nosso país tropical e que reunidas ao tempero do nosso povo festeiro se transformaram na grande festa que é hoje.
Só para se ter uma idéia, a festa nos clubes reflete claramente a influência dos bailes de máscara franceses que eram feitos há muitos séculos atrás.
Além disso, a tradição dos desfiles de escolas de samba também traz muitas características dos desfiles de carros alegóricos que aconteciam nos países europeus, feitos para comemorar a transição do inverno para a primavera.

Sem contar os blocos de rua que misturam influências de festas africanas como o “entrudo”, comemoração portuguesa onde pessoas se fantasiavam e saíam até as ruas para lançar água e farinha em seus amigos.
É da reunião de todos esses ritos que nasceu o nosso Carnaval, um esquindô geral, capaz de mobilizar milhões de pessoas que esquecem da vida e caem na folia.
E quem não quer ficar fora dessa festa precisa se programar com antecedência.
Se você ainda não decidiu se quer desfilar numa escola de samba, pular num bloco de rua ou sair atrás de um trio elétrico, chegou a hora.
O importante é não ficar parado!
Vamos lá!!!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

...Reflexão boa para desopilar o fígado rssss...

Olá pessoal, recebi esse e-mail maravilhoso , quem nunca passou por isso?
Adoreiiii e faço das palavras de Silvia Schmidt as minhas.
Vamos tentar...Leia com atenção!

Sopre as Cinzas - Só por sacanagem -
Silvia Schmidt

Quem feriu você já feriu e já passou.
Lá na frente encontrará o inevitável retorno e pelas mãos de outrem será ferido também.
A Vida se encarregará de dar-lhe o troco e você, talvez, nem jamais fique sabendo.
O que importa de verdade é o que você sentiu e, mais importante, é o que ainda você sente:

Mágoa? Rancor?Ressentimento? Ódio?
Você consegue perceber que esses sentimentos foram escolhidos por você?
Somos nós que escolhemos o que sentir diante de agressões e de ofensas.
Quem nos faz o mal é responsável pelo que faz, mas NÓS somos responsáveis pelo que sentimos.
Essa responsabilidade tem a ver com o Amor que devemos e temos que sentir por nós mesmos.
O ofensor fez o que fez e o momento passou, mas o que ficou aí dentro de você?

Mágoa-
Você sabia que de todas as drogas ela é a mais cancerígena?
Pela sua própria saúde,jogue-a fora.

Rancor-
Ele é como um alimento preparado com veneno irreconhecível: dia mais, dia menos, você poderá contrair doenças de cujas origens nem suspeitará.

Ressentimento-
Pois imagine-se vivendo dentro de um ambiente constantemente poluído, enfumaçado, repleto de bactérias e de incontáveis tipos de vírus: é isso que seu coração e seus pulmões estão tentando agüentar. Até quando você acha que eles vão resistir?

Ódio-
Seus efeitos são paralisantes.
Seu sistema imunológico entrará em conflito com esse veneno que com o tempo poderá colocar você face a face com a morte e talvez muito tarde você venha a perceber que melhor seria ter deixado que seu agressor colhesse os frutos do próprio plantio.

Por seu próprio Bem e pelo seu Bem, perdoe.
O perdão o libertará e o fará livre para ser feliz.
Esqueça o mal que lhe foi feito.
Deixe que seu ofensor lembre-se dele através das conseqüências com que, certamente, virá a arcar.
Mude seu destino ... seja o comandante da sua nau!
Escolha o melhor caminho para sua "viagem"

E se outras vezes o ferirem, perdoe ... Perdoe ... nem que seja só por sacanagem.

** нσנє α иσιтє иãσ тєм ℓυαя **

Trechos da música, “Hoje à noite não tem luar” com Renato Russo.

...Naquele dia junto ao mar
As ondas vinham beijar a praia
O sol brilhava de tanta emoção...

...Lua de prata no céu
O brilho das estrelas no chão
Tenho certeza que não sonhava
A noite linda continuava
E a voz tão doce que me falava
O mundo pertence a nós...


Pensando hoje com meus botões...


...Amor verdadeiro?

"É esse o tipo de amor que quero para minha vida. O verdadeiro AMOR, não se resume ao físico, nem ao romântico. O verdadeiro AMOR é aceitação de tudo que o outro é... de tudo que foi um dia... do que será amanhã. e do que já não é mais!".

Tenho o amor da minha família, filhos e de poucos amigos que escolhi para compartilhar alegrias e tristezas...
Obrigada a todos vocês pela força e por serem anjos em minha vida, principalmente agora nesta fase de transição!
Não coloco nomes porque quem é meu amigo sabe do que eu digo e sinto!
Amo todas as pessoas que querem o meu bem e torcem por mim!
Aquelas que me fazem mal, também amo porque de alguma força me impulsiona para frente!

Cresço mesmo que faça doer!
Bjs e até a próxima!

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

:)ESTOU TÃO FELIZ ;)

Para bom entendedor meia palavra basta!
Entre um sim que nos anima...
...e um não que nos entristece...
...há sempre um talvez!!!
ESTOU TÃO FELIZZZZZ!!!
O PARAÍSO ESTÁ VOLTANDO RSSSS.
De tudo ficaram três coisas:
A certeza de que estamos começando,
A certeza de que é preciso continuar e, a certeza de que podemos ser interrompidos antes de terminar.
(isto é o pior, na vida de qualquer pessoa)

Vamos...
Fazer da interrupção um caminho novo,
Fazer da queda um passo de dança,
Do medo uma escada,
Do sonho uma ponte (entre a realidade e a fantasia),
Da procura um encontro,
E assim terá valido a pena existir !

===LINDA MENSAGEM===

Hoje abrindo meu e-mail, vi essa linda mensagem que uma pessoa maravilhosa me enviou, uma amiga pra todas as horas Rose (grandona) rssss.Obrigada por tudo mesmo...

Hoje pode não ser aquele dia mais feliz; sua vida pode não ser tudo o que você queria.
Hoje pode ser que as pessoas te decepcionem, que magoem o seu coração fazendo duvidares dos sonhos e da amizade.
Mas hoje, eu quero dizer-te que mesmo que a escuridão de uma tristeza te impeça de avistar o brilho de um dia melhor, o sol do amor e da esperança brilha em algum lugar a sua volta;
Ele está no coração daqueles que te amam, está no rosto daqueles que te sorriem, está na mão amiga que se estende em sua direção e está nas palavras daqueles que, embora doa, te dizem sempre a verdade.


Acredite!

O sol de um dia melhor raiará na sua vida, dissipando as escuras nuvens, aquecendo seu frio coração, trazendo de volta a beleza das flores, enfim, o sol do amor e da alegria nascerá pra você depois desta escura noite que estás vivendo!
Hoje a tristeza pode escorrer em lágrimas pelo seu rosto, mas acredite, a alegria virá com um novo amanhã!
E tenho certeza disso!

(A.D)

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

*ESTAMOS COM FOME DE AMOR!!!*

Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: "Digam o que disserem, o mal do século é a solidão". Pretensiosamente digo que assino embaixo sem dúvida alguma.
Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias.
Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas e saem sozinhas.
Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos.
Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes,
os novíssimos "personal dance",
incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvida?
Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormir abraçados, sabe essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega.

Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção.
Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós.

Quem duvida do que estou dizendo, dá uma olhada no site de relacionamentos ORKUT, o número que comunidades como: "Quero um amor pra vida toda!", "Eu sou pra casar!" até a desesperançada "Nasci pra ser sozinho!"Unindo milhares ou melhor milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis. Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos.

Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa.
Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé, brega.
Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí?
Seja ridículo, não seja frustrado, "pague mico", saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso à dois. Quem disse que ser adulto é ser ranzinza, um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele.
Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: "vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida".


Antes idiota que infeliz !

*(Arnaldo Jabor)*

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

ஜஜEsperança 2008ஜஜ


Essa palavra diz tudo não é...ESPERANÇA!



Como falou o teólogo Teillard de Chardin...

...E o homem, como eterno aprendiz diante da vida envolve-se no brilho e na confiança que cria, para a conquista e o desbravamento do desconhecido, o tempo futuro, esperando encontrar a felicidade como um pote, ao fim do arco-íris. Assim, para todos nós um bom início de ano. Que 2008 confirme as esperanças nele depositadas.

Esperança
Por Nelly Carvalho
Deixando para trás 2007 e a correria das compras de dezembro, começamos em 2008, cuja porta de entrada é janeiro, termo latino que vinha de janua, porta.
Significava o portal do novo ano, representado por um deus, Januarius, com duas faces, uma olhando para o passado e outra olhando para o futuro.
Já se torna distante o dia 1º de janeiro de 2000, data cabalística, inicio de uma nova década, um novo século e um novo milênio. Muitos pensavam que não o veriam e estão aqui comemorando a chegada de 2008.
O deus romano que regia o mês inicial tem uma face que mira o futuro que se faz presente e com um convite à crença em melhores dias.

Assim, a esperança é a marca principal do ano que se inicia, deixando para trás a saudade que a outra face de Januarius vislumbra, o passado e a saudade do que se acabou. Esperança é uma palavra que se formou na passagem do latim para o português. No latim, o termo era spes.

A forma esperança surgiu no século XII e desde então nomeou de virtude teologal a inseto verde que se confunde com as plantas. Ao iniciar-se o ano, associamos a mudanças para melhor, à felicidade, amor e sucesso.
Mas é a esperança que o caracteriza melhor. A esperança é que nos introduz não apenas no novo ano, mas na vida: envolve o menino alegre, entusiasma o jovem com seu brilho mágico e conduz o homem na sua vida adulta, diz Schiller, poeta alemão.
E os nossos poetas populares também tecem loas à esperança: “Esperar, doce quimera/Quem espera sempre alcança?/Na esperança dessa espera/Bendita seja a esperança.” Ou ainda: “No início desta hora de beleza /vamos tecer a guirlanda verde da esperança/c
om os fios de ouro da ilusão".
A esperança é descrita por Gilka Machado como a palmeira imensa erguida, no Saara da vida, cujo pálio protetor abriga a caravana das almas. Mas os poetas não trabalham sós. Eles têm como instrumento a língua, que providencia formas para realçar a esperança, no início de mais uma volta da Terra em torno do Sol. Como uma chuva de brilhantes meteoritos, palavras que denotam otimismo entram em órbita, para realçar o tom de começo promissor: votos, desejos, felicidades, realização sonhos, sucesso, amor e paz. Todos fazem parte do universo vocabular que gravita em torno da esperança de melhores dias.

A palavra saudade 2008

Olá pessoal, navegando pela net encontrei esse interessantíssimo texto... Já falei sobre saudades aqui, mas como foi em 2007, vale a pena colocar em 2008 tb rssss.
Bjs e até a próxima...
A palavra saudade
Por Nelly Carvalho


Chegamos ao fim de 2007, como sempre trazendo emoções, entremeando esperanças e saudades.
Isto porque ser humano é ser contraditório e a esperança de novas experiências ancora-se no que já passou.
Somos de uma cultura sentimental onde a saudade é um elemento freqüente. E de onde nos vem isto?


Vejamos.
A palavra saudade foi criada na língua portuguesa, nos primórdios de sua formação, quando o povo ibérico, levado em direção ao oceano pelos invasores romanos e bárbaros, ficou diante da imensidade dos mares no extremo ocidental do continente europeu, que chamaram Finisterra (fim da terra).
Isto resultou um sentimento indefinível e melancólico, só posteriormente nomeado pela expressão saudade, cuja origem é polêmica.
Considerado um idiotismo (expressão intraduzível, pois só existe em português) por representar um sentimento próprio de uma região, ela inspirou poesias desde as primeiras fases da língua, aportando no Brasil, em versos e canções. Tem ela uma longa história.


Em torno do ano de 1200, quando ainda nem existia Portugal como país, nem a língua portuguesa como tal, já se cantava o cuidado, o desejo e o lento morrer de amor.
No exílio, Camões cantava: Na minha alma triste e saudosa / a saudade escreve, e eu translado”. Saudade não é soledad (espanhol), não é homesickness (inglês), não é morriña (galego), nem regret (francês); Saudade é diferente de nostalgia, de spleen, de mal du pays.
As formas arcaicas primeiras foram suidade, soedade e soidade, na fase do inicial do português. Teria vindo assim de soledade, solidão. Também há a hipótese de vir de salutem datis uma saudação romana.
Alguns ainda dizem que tem origem no árabe saudá, profunda tristeza.

O que fica, na verdade, é que com esta palavra, marca-se um estado de espírito que outras línguas não exprimem com precisão, sentimento muito próprio dos que usam o português como língua materna.
A saudade portuguesa decorre de uma vivência espacial diferente: o espaço dinâmico e criador. Foi no mar, nas grandes viagens que Portugal descarregou essa tensão.
Situado entre a última terra mediterrânea e primeira atlântica, Portugal compensou com o mar a sua escassez de continente.
Só é possível, pois, a geração da saudade pelo amor e ausência, quando estes “pais da saudade” forem integrados num espaço criador.
A saudade é, pois, estado sentimental que se reflete ou transparece na poesia lírica.


Saudade e lirismo são duas etapas de uma mesma coisa: a vivência e a expressão do sentimento humano.
Fernando Pessoa tomou-a como sentimento emblemático de seu povo: ”Saudades, só portugueses/ conseguem senti-las bem/ Porque têm essa palavra/para dizer que as têm. A vida vai tecendo laços e tudo que tece são pedaços do vir-a-ser que se transforma em ser. Assim, a saudade aportou no Brasil com a colonização e, sendo o Recife um dos primeiros portos a ser tocado , ela aqui aportou e fez sua morada em nosso Pernambuco.
Mas, vem da voz fluminense de Casimiro de Abreu, o poema brasileiro que levou todos a tomar consciência da dorida saudade da infância: Ai que saudades que tenho da aurora da minha vida! Da minha infância querida que os anos não trazem mais!

Em Pernambuco até os poetas populares, do frevo e do baião também transportam a saudade para seus versos.
Luis Gonzaga avisava que a saudade é boa quando a gente lembra só por lembrar, porém se vive a sonhar com alguém que se deseja rever, saudade aí é ruim.
É também, paradoxalmente, um dos temas recorrentes no Carnaval, nas letras do frevo canção e de bloco, -a dor de uma saudade vive sempre no meu coração, ao recordar alguém que partiu.
Enfim, saudade como palavra pode ser definida na trova: saudade não é lembrança, nem mesmo recordação, saudade é a dor da ausência, maltratando o coração.
Mas, desejamos que as saudades dos natais passados e de tudo de bom que aconteceu em 2007, façam florescer esperanças de um feliz natal em 2007 e um 2008 de muitas alegrias!

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

VALE A PENA

A MENSAGEM DIZ POR SI SÓ!

...Falando ao oceano...

Pra começar o ano de pé direito uma mensagem maravilhosa e uma boa reflexão.

Até a próxima.


Falando ao oceano...
Algumas folhas de papel, caídas sobre a areia de uma Praia pouco visitada, traziam as seguintes linhas:
"Quando abraço o oceano com o olhar, volto a questionar milhões de coisas, tantas quanto às ondas que ganham a areia.
Volto a questionar: Como alguém pode sentir-se só na presença do mar? Na presença desta brisa incessante? Na companhia deste perfume raro?! Como ainda posso me sentir só, sabendo que os braços do Invisível me abraçam que aqueles que partiram continuam existindo, e que todos nós, sem exceção, somos amados por alguém?

Como ainda posso me sentir só?
Talvez seja porque eu me isole do Mundo, e seja exigente demais com as pessoas. Pode ser isso.
Talvez seja porque eu não permita que os outros conheçam minha vida, meus sonhos, minhas dificuldades - acho que há um pouco de orgulho nisso.
Quem sabe seja porque eu procure a solidão, e não ela que me persiga, como eu imaginava.
É... Talvez eu precise conversar mais com as pessoas, me interessar mais por suas vidas, ouvir.
Há tempos que não ouço alguém; um desconhecido relatando os acontecimentos corriqueiros do dia-a-dia; um colega de trabalho falando das peripécias de seus filhos.
Meus irmãos: há tempos não converso com eles sobre assuntos profundos, como planos para o futuro, lembranças boas do passado.
É curioso, pois me lembro de que há algumas semanas ouvi uma mensagem de cinco minutos, num programa de rádio, que falava sobre isso, sobre como as pessoas se isolam umas das outras, e do quanto isto é prejudicial para a saúde mental e física, já que uma é conseqüência da outra.
O locutor dizia q
ue 'Quem AMA não se sente só', pois está sempre se doando, se envolvendo com os corações mais próximos, na intenção de ajudar.
Dizia ainda que, quando nos sentimos úteis, e concluímos que muitos dependem de nossa dedicação, de nosso amor, também nos esquecemos da solidão.
Acredito que ele tenha razão, pois lembro que naquele dia fui visitar uns tios que não via há muito tempo, e aquela visita fez-me tão bem!
Falamos de assuntos comuns, como notícias de televisão, notícias da família, mas ao final saí de lá menos tenso, menos preocupado com a solidão.
Abracei minha tia, e a ouvi dizer, por entre lágrimas discretas: 'Gostamos muito de você, viu? Venha mais vezes! Não é sempre que recebemos visitas!'
Ela está certa. Não é sempre que recebemos visitas, pois não é sempre que visitamos OS outros, creio eu.
Naquela tarde, vi que poderia ser útil em pequenas coisas, e que aquilo me afastava um pouco da solidão.

Dentro do carro, voltando para Casa, observando o movimento intenso nas ruas, lembro de fazer estas mesmas perguntas: Como pode alguém sentir-se só na presença de tanta gente, de tanta vida?
Quantos desses corações esperam apenas por uma visita? E quantos deles estão dispostos a fazer uma?
E aqui está você, amigo oceano, à minha frente, ouvindo todas estas minhas divagações. Acho que foi sua presença, rei das águas, que me ajudou a entender melhor o que se passa em meu íntimo.
Agradeço profundamente por sua companhia, por conseguir me ouvir, e por me dizer, mesmo sem falar, que o que preciso fazer é visitar mais o coração de meu próximo.
“Muito obrigado.”

Autor desconhecido

Olha a Hora!!!

relojes web gratis