♥ CITAÇÕES DO DIA ♥

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Um pensamento para essa sexta-feira!♥♥♥

Nunca desvalorize ninguém.Guarde cada pessoa perto do seu coração.Porque um dia você pode acordar.E perceber que você perdeu um diamante.Enquanto você estava muito ocupado colecionando pedras.

Para quem é pai / mãe e para aqueles que o serão...

Olá pessoal recebi esse texto e deixo aqui pra vcs!
(Texto de Affonso Romano de Sant´Anna)
Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos seus próprios filhos. É que as crianças crescem independentes de nós, como árvores tagarelas e pássaros estabanados. Crescem sem pedir licença à vida. Crescem com uma estridência alegre, e, às vezes, com alardeada arrogância. Mas não crescem todos os dias de igual maneira, crescem de repente Num dia sentam-se perto de você no terraço e dizem uma frase com tal maturidade que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura. Onde é que andou crescendo aquela danadinha que você nem percebeu? Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços e o primeiro uniforme maternal? A criança está crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil... E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela não apenas cresça, mas apareça! Ali estão muitos pais ao volante, esperando que eles saiam esfuziantes sobre patins e cabelos longos, soltos. Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão nossos filhos com o uniforme de sua geração: incômodas mochilas da moda sobre os ombros. Ali estamos, com cabelos esbranquiçados. Esses são os filhos que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notícias e da ditadura das horas. E eles crescem meio amestrados observando e aprendendo com nossos acertos e erros. Principalmente com os erros que esperamos que não repitam. Há um período em que os pais vão ficando um pouco órfãos dos próprios filhos.

Não mais os pegaremos nas portas das discotecas e nas festas. Passou o tempo do ballet, do inglês, da natação, do judô. Saíram do banco de trás e passaram para o volante de suas próprias vidas. Deveríamos ter ido mais à cama deles ao anoitecer para ouvir sua alma respirando conversas e confidências entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de adesivos, pôsteres, agendas coloridas e discos ensurdecedores. Não os levamos suficientemente ao Playcenter, ao Shopping, não lhes demos suficientes hambúrgueres e cocas, não lhes compramos todos os sorvetes que gostaríamos de ter comprado. Eles cresceram sem que esgotássemos neles todo o nosso afeto. No princípio subiam a serra ou iam à casa de praia entre embrulhos, bolachas, engarrafamentos, natais, páscoas, piscinas e amiguinhos. Sim, havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de chicletes e cantorias sem fim. Depois chegou o tempo em que viajar com os pais começou a ser um esforço, um sofrimento, pois era impossível deixar a turma e os primeiros namorados. Os pais ficaram exilados dos filhos. Tinham a solidão que sempre desejaram, mas de repente, morriam de saudades daquelas 'pestes'. Chega o momento que só nos resta ficar de longe torcendo e rezando muito (nessa hora se a gente tinha desaprendido, reaprende a rezar) para que eles acertem nas escolhas em busca de felicidade. E que a conquistem do modo mais completo possível. O jeito é esperar: qualquer hora podem nos dar netos. O neto é a hora do carinho ocioso e estocado, não exercido nos próprios filhos e que não pode morrer conosco. Por isso os avós são tão desmesurados e distribuem tão incontrolável carinho. Os netos são a última oportunidade de re-editar o nosso afeto. Por isso é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que eles cresçam. Aprendemos a ser filhos depois que somos pais. Só aprendemos a ser pais depois que somos avós...

domingo, 10 de agosto de 2008

O Sol Que Brilha Em Mim


A minha alma é plana, simples, transparente e real. É uma alma que se sente sem segredos, sem pontos escuros para ocultar, com muita coisa para contar e com muitos pensamentos para passar para o papel.

O Sol Que Brilha Em Mim

Um novo dia... Um raio de luz que desponta sobre mim, que me aquece a alma e que me anima o espírito, que me faz esquecer o cansaço e que me faz sorrir e transbordar de felicidade. A felicidade que não consigo esconder e que torna os meus dias mais alegres, mais coloridos e mais tranqüilos.

És o sol que me ilumina a alma e que mesmo de noite me acende o coração, porque brilhas sem parar... No meu pensamento, não com uma luz tremule, mas como uma chama forte e que fugazmente me domina e é cada dia mais bonito e precioso. Uma luz que dificilmente o vento poderá apagar, porque eu a protejo e guardo dentro de mim, como um tesouro que quero guardar... Sempre junto a mim!

É o sol que brilha em mim, com uma luz tão forte que ofusca as palavras...

Há locais que me tira as palavras, que conseguem resumir tudo, aquilo que me vai à alma, num só momento, num instante único... Porque há momentos em que as palavras não conseguem expressar o que sinto e em que a contemplação do silêncio chega para mostrar tudo o que pulsa dentro de mim.

As palavras mudas que me saem da alma são fortes e o pensamento é único, especial... Deixa-me feliz, fora de mim e com a alma a transbordar.

Tenho saudades... Mas não há longe nem distância!


A Gravidez de Um Pai

Olá pessoal , passei um tempo ausente mas aqui estou.
Hoje dia dos Pais.
Há três anos não passava o dia dos Pais ao lado do meu.
O meu pai é a fortaleza que Deus mandou pra mim.
Um amigo e companheiro que muita gente não tem.
Eu posso falar com todo orgulho que o meu pai é o MELHOR DO MUNDO!!!

Dedico essa mensagem de Letícia Thompson para todos os pais e em especial ao meu.

A gravidez de um pai não se dá nas entranhas, mas fora delas.
Ela se dá primeiro no coração, onde o sentimento de paternidade é gerado.
Um desejo de ser e de se ver prolongado em outra vida, que seja parte de si mesmo,
mas com vida própria. Imagino que deve ser frustrante a princípio.
Durante toda a espera, um pai é um pai sem experimentar o gosto de ser,
sem os incovenientes de uma gravidez, mas também sem as lindas emoções que tanto mexem com a gente.

E quando ele sente pela primeira vez a vida que ajudou a gerar, tudo toma outra forma.
Ele sente um chute e se diz já que este será um grande jogador de futebol.
E muitas vezes se surpreende e se maravilha quando vê uma princesinha que sabe chutar tão bem.
Mas tanto faz. Está ali um sonho que se torna palpável.

E um parto de um pai se dá quando ele pega pela primeira vez sua criança nos braços,
quando ele se vê em características naquele serzinho tão miudinho que nem se dá conta
ainda que veio ao mundo e que se tornou o mundo de alguém. E os sentimentos e emoções
se atropelam dentro dele. E ele sente que, à partir desse instante, a vida nunca mais será a mesma.
E ele precisa olhar dez, cem, mil vezes para acreditar que tudo não passa de um sonho.
E geralmente há um enorme sentimento de orgulho que toma posse dele.

Assim se forma um pai. Pronto para ensinar tudo o que aprendeu da vida,
um dia ele descobre que não sabe realmente muito, que na verdade aprende a cada instante.
Diante da sua criança ele se torna um adulto vulnerável e acessível.
E vai gerando, pouquinho a pouquinho, dentro de si mesmo, a arte de se tornar um pai.
Feliz dia dos Pais!

Olha a Hora!!!

relojes web gratis