♥ CITAÇÕES DO DIA ♥

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

ஜஜEsperança 2008ஜஜ


Essa palavra diz tudo não é...ESPERANÇA!



Como falou o teólogo Teillard de Chardin...

...E o homem, como eterno aprendiz diante da vida envolve-se no brilho e na confiança que cria, para a conquista e o desbravamento do desconhecido, o tempo futuro, esperando encontrar a felicidade como um pote, ao fim do arco-íris. Assim, para todos nós um bom início de ano. Que 2008 confirme as esperanças nele depositadas.

Esperança
Por Nelly Carvalho
Deixando para trás 2007 e a correria das compras de dezembro, começamos em 2008, cuja porta de entrada é janeiro, termo latino que vinha de janua, porta.
Significava o portal do novo ano, representado por um deus, Januarius, com duas faces, uma olhando para o passado e outra olhando para o futuro.
Já se torna distante o dia 1º de janeiro de 2000, data cabalística, inicio de uma nova década, um novo século e um novo milênio. Muitos pensavam que não o veriam e estão aqui comemorando a chegada de 2008.
O deus romano que regia o mês inicial tem uma face que mira o futuro que se faz presente e com um convite à crença em melhores dias.

Assim, a esperança é a marca principal do ano que se inicia, deixando para trás a saudade que a outra face de Januarius vislumbra, o passado e a saudade do que se acabou. Esperança é uma palavra que se formou na passagem do latim para o português. No latim, o termo era spes.

A forma esperança surgiu no século XII e desde então nomeou de virtude teologal a inseto verde que se confunde com as plantas. Ao iniciar-se o ano, associamos a mudanças para melhor, à felicidade, amor e sucesso.
Mas é a esperança que o caracteriza melhor. A esperança é que nos introduz não apenas no novo ano, mas na vida: envolve o menino alegre, entusiasma o jovem com seu brilho mágico e conduz o homem na sua vida adulta, diz Schiller, poeta alemão.
E os nossos poetas populares também tecem loas à esperança: “Esperar, doce quimera/Quem espera sempre alcança?/Na esperança dessa espera/Bendita seja a esperança.” Ou ainda: “No início desta hora de beleza /vamos tecer a guirlanda verde da esperança/c
om os fios de ouro da ilusão".
A esperança é descrita por Gilka Machado como a palmeira imensa erguida, no Saara da vida, cujo pálio protetor abriga a caravana das almas. Mas os poetas não trabalham sós. Eles têm como instrumento a língua, que providencia formas para realçar a esperança, no início de mais uma volta da Terra em torno do Sol. Como uma chuva de brilhantes meteoritos, palavras que denotam otimismo entram em órbita, para realçar o tom de começo promissor: votos, desejos, felicidades, realização sonhos, sucesso, amor e paz. Todos fazem parte do universo vocabular que gravita em torno da esperança de melhores dias.

Um comentário:

Raquel Baldo disse...

Olá amiga, adorei esse texto saudades de vc viu!!!

Bjãooo


Raquel

Olha a Hora!!!

relojes web gratis